Retrato de Luís Lavoura

A maior parte das pessoas, ao que parece, vota em função do estado e, sobretudo, das perspetivas da economia no momento da eleição.

Em minha opinião essa é uma estratégia errada, porque a governação tem bem menos influência sobre o progresso da economia do que geralmente se lhe atribui. A ecnomia evolui bem ou mal, em grande parte, independentemente de o governo ser bom ou mau. Por exemplo, em 2009, dados os elevados níveis de dívida (pública e também privada) da economia portuguesa, e dada a elevada sensibilidade dos agentes internacionais à dívida, era forçoso que a economia portuguesa tivesse que se retrair. A partir de 2013, dada a diminuída sensibilidade dos agentes internacionais à dívida, e dada a descida acentuada do preço do petróleo, era expectável que a economia portuguesa começasse a crescer. Tudo isso aconteceu, portanto, independentemente de o governo PSD-CDS ser bom ou mau. Não é por motivos desses que devemos votar na coligação PàF ou em qualquer outra força política.

Eu opto por outras motivações para o voto. Os políticos são honestos e verdadeiros ou trapaceiros e mentirosos? São competentes na sua área de atuação? Optam por políticas corretas? E isto não se aplica apenas, nem sequer sobretudo, à área económica e financeira da governação, porque essa, em grande medida, toma conta de si mesma. Antes analiso áreas como a Segurança Social, a Educação, a Saúde, a Cultura ou a Investigação científica - áreas nas quais, a meu ver, aquilo que o governo faz é verdadeiramente decisivo.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação