Retrato de Luís Lavoura

Vital Moreira propagandeia números, apresentados num congresso de operadores ferroviários de Alta Velocidade, segundo os quais "um TGV emite quatro quilos de dióxido de carbono por cada 100 passageiros.quilómetro transportados, ao passo que essa cifra é de 14 quilos num automóvel e de 17 no avião".

Eu tenho muitas dúvidas em relação a estes números, pois que eles dependem, crucialmente, da taxa de ocupação dos diversos meios de transporte. Ora, enquanto que podemos admitir que a taxa de ocupação média dos automóveis é quase sempre baixa - uma pessoa por automóvel, ou pouco mais - em qualquer país e trajeto, a taxa de ocupação de um combóio de alta velocidade depende crucialmente do trajeto. Enquanto que um combóio entre Paris e Bruxelas, no coração da Europa, terá uma taxa de ocupação próxima dos 100%, um combóio entre Madrid e Lisboa, na ultra-periferia da Europa e atravessando regiões que são das mais pobres da Península, terá taxas de ocupação bastante mais baixas. Se, no limite, o combóio só transportar meia-dúzia de passageiros - como há dias aconteceu, num vôo em que eu vim de Barcelona para Lisboa, no qual só iam umas dez pessoas num avião com capacidade para 250 - então a quantidade de dióxido de carbono por passageiro.quilómetro será brutalmente maior.

É pois necessário tomar o máximo cuidado e verificar bem qual o mercado potencial para cada linha de TGV. Porque uma linha Lisboa-Madrid não terá o mesmo tráfego que uma Lisboa-Porto nem que uma Madrid-Barcelona, e todas elas terão certamente menos tráfego que uma Paris-Bruxelas.

De quqlquer forma, concordo com a conclusão de Vital Moreira: "é imperioso obrigar o transporte aéreo a internalizar no preço os seus custos ambientais". Há um acordo internacional que proíbe a taxação do combustível para aviões, e esse acordo distorce toda a concorrência entre modos de transporte e impede a internalização dos custos ambientais. Mas, não seria possível violar esse acordo, denunciá-lo, pelo menos no caso das viagens intra-europeias, isto é, no interior da União Europeia?

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação