Retrato de Miguel Duarte

Segundo notícia da Lusa:

Portugal vai encerrar sete embaixadas, quatro vice-consulados e um escritório consular, estando prevista a abertura «muito proximamente» de uma representação diplomática no Qatar, anunciou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, no parlamento.

Esta reforma vai permitir poupar 12 milhões de euros em 2012, afirmou.

As embaixadas portuguesas que vão ser desativadas são Andorra, Bósnia-Herzegovina, Estónia, Letónia, Lituânia, Malta e Quénia, disse Portas na apresentação do Orçamento do Estado 2012 para o ministério que tutela nas comissões de Orçamento e Finanças, Negócios Estrangeiros e Assuntos Europeus.

De onde se conclui que a embaixada de Portugal na Santa Sé é uma embaixada vital para o país, dados o enorme potencial de negócios com este estado, claramente à frente de países, membros da União Europeia como a Estónia, Letónia e Lituânia. Mais, a importância é de tal ordem, que a representação de Portugal na Santa Sé não poderia ser assegurada a partir de uma embaixada existente na mesma cidade (Roma).

Existem decisões que eu não compreendo, dado me parecerem completamente destituídas de racionalidade. Esta é uma delas. Curiosamente, os Irlandeses encerraram recentemente a sua embaixada no Vaticano.

Portugal Estado democrático

filipe ramos (não verificado) on Terça, 26/11/2013 - 16:42

O Estado... esse Grande PATRÃO

Os empregados do Estado em Portugal existem fundamentalmente para melhor enganar, aldrabar, vigarizar, desviar e roubar o próprio PATRÃO (Estado) em completa legalidade, impunidade e imunidade pois há que precisar que tudo na Constituição Portuguesa se encontra reunido de uma forma magistral e ''exemplar'' para favorecer, beneficiar e proteger em exclusivo os empregados do Estado e em nada o PATRÃO.
Os empregados do Estado são todos aqueles que recebem uma remuneração em troca de um ''suposto trabalho'' na chamada função pública. Ex. : Presidente da Répública, Primeiro Ministro, Ministros, Parlamentares, Secretários, câmaras, finanças, justiça, militares e etc., etc., etc., etc., etc. ! Devo acrescentar que mais de 70 por cento da população ativa em Portugal ''trabalha'' na função pública.
O engraçado e mais estranho e estúpido nisto tudo é que o PATRÃO (Estado) é o próprio POVO que não tem poder absolutamente algum nas decisões da Répública Portuguesa e nunca terá porque a Constituição Portuguesa que já nos vem do tempo de Salazar e sem grandes, verdadeiras e profundas reformas assim não o permite ao contrário do poder absoluto dos nossos dirigentes Políticos que sempre mandaram com mãos de ''ditadores de nova geração'' e cara de Anjos no próprio PATRÃO (POVO).
Muito difícil de se encontrar PATRÃO mais sem voz, condescendente, ignorante, generoso e cego. Também por isso é que nunca houve, não há e nunca haverá melhor ''emprego'' que o de ser empregado do Estado (POVO).
CONCLUSÃO : Temos que acabar completamente e radicalmente com esta Constituição pois é económicamente impossível uma empresa funcionar com 70 directores e 30 trabalhadores (escravos) e criar uma nova Répública de raíz ou adotar um sistema político estrangeiro que se saiba bem funcionar para todos como é o caso por exemplo do sistema político Suiço onde o povo é na maioria dos casos em leis e decisões do País solicitado a votar e qualquer pessoa se pode indivídualmente candidatar ao governo não havendo para isso a obrigatoriedade de se pertençer a qualquer partido político e a tudo isto sim se pode chamar democracia.
ASSINADO : Aremando Zarpa
Post.S. Quanto mais se enfraqueçe um Povo mais se Fortaleçe e Enriqueçe um ''Político''.

Retrato de David Moreira

Portugal pouco laico de fato

David Moreira on Quarta, 16/11/2011 - 23:08

A importância da embaixada do Vaticano é mais por razões históricas do que por razões económicas.

Afinal ainda existe um tratado internacional entre os dois estados, a Concordata.
Uma curiosidade: em termos de protocolo, o embaixador de Portugal tem primazia sobre todos os outros estados, uma relíquia histórica desde o tempo de D. João V, quando o Papa lhe deu o título de Majestade Fidelíssima. A “graxa” mútua entre Portugal e o Vaticano já vem de longe, existe por isso uma grande inércia em acabar com esta relação. Por mais que se afirme que o estado é laico, ainda existe muita coisa muito pouco laica:
Como se viu recentemente na extinção de feriados religiosos. A extinção de feriados religiosos tem de passar pelo Vaticano ao abrigo da Concordata, com lembraram os bispos ao ministro.

Outro caso, foi no pós-25 de Abril, com a permissão de divórcio entre católicos. O ministro de então, teve se deslocar ao Vaticano para negociar o assunto ao abrigo da Concordata.
 

O homem é oriundo de um

J. Rodrigues (não verificado) on Quarta, 16/11/2011 - 14:41

O homem é oriundo de um partido conservador, Miguel. "Democratas cristãos", e tal. Faz parte do core-business do CDS, e se ele cortasse na embaixada que mencionas, o eleitorado dele nunca o perdoaria.

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação