Retrato de Miguel Duarte

Um governo PS tem destas coisas. Uma empresa de sucesso e privada, acaba de ser adquirida pela CGD e pela Sumolis, tendo nesta parceria a CGD 80% e a Sumolis apenas 20%

A justificação dada pela CGD para a presença em tão grande percentagem no negócio (nada teria contra se fosse uma posição minoritária), foi “manter a empresa em mãos portuguesas” e considerar esta acção um investimento financeiro.

Relativamente a “manter a empresa em mãos portuguesas”, às custas do dinheiro público, é uma vergonha, até porque havia outras empresas nacionais na corrida à empresa. Mesmo que uma empresa internacional ganhasse o negócio, é duvidoso que fosse destruir o investimento realizado. O mais provável é que a aquisição da Compal por uma empresa estrangeira a ajudasse a ganhar novos mercados para os seus produtos. Algo benéfico para um dos objectivos já assumidos pelo governo.

Quanto ao investimento financeiro, é algo muito duvidoso. A Caixa pagou pela Compal mais de 20% a 30% que a concorrência. A Sumolis, se bem que opere na mesma área e apresente algumas sinergias com a Compal, dificilmente poderá gabar-se de ter capacidade de gestão na área (em 2004, a Sumolis perdeu 2,4 milhões de Euros e a Compal teve um lucro de 10,8 milhões de Euros). Ou seja, a CGD fez provavelmente um investimento em que irá perder dinheiro, e pior, pode vir a prejudicar gravemente o desenvolvimento da Compal.

O meu único desejo é que a CGD se abstenha de se envolver na gestão da Compal, deixando essa tarefa para a equipa que lá está e que tem apresentado excelentes resultados e que a Sumolis não passe eventuais más práticas para a Compal.

Quem ficou a perder?

Os contribuintes, dado a CGD ser um banco público.

A economia portuguesa, por mais uma distorção de mercado, onde uma empresa mal gerida (com prejuízos) e um banco estatal, ganharam o controlo de uma empresa bem gerida.

Quem ganhou com tudo isto?

A Sumolis, pois graças a este investimento, para o próximo ano, mesmo que o seu negócio continue a correr mal, vai poder apresentar lucros, graças aos bons resultados que a Compal tem tido.

A Nutrinveste, que ganhou mais 20% a 30% com a venda da Compal do que poderia ter ganho se o Estando não se tivesse metido ao barulho.

Viva a Sumol, a Compal e os

Anónimo (não verificado) on Domingo, 20/11/2005 - 21:14

Viva a Sumol, a Compal e os cafés Delta, viva Portugal.

Nós os Portugueses queremos continuar a comprar Mercedes e BMWs, iPods, iBooks e Powerbooks, Playstations, telemóveis de todas as cores, comida para bebés e chocolates Nespuré, roupa e sapatos Espanhois, e toda a espécie de porcarias nas lojas dos Chineses... para pagar tudo isso vendêmos o quê? Volfrâmio? Urânio? Petróleo? Sabonetes?

Vejam o que aconteceu com a Longa Vida, com as farinhas Pensal, com a Buondi, com a Molin, com a Regina, etc. Ainda bem que a Compal se salva.
Ainda bem que a CGD para variar faz qualquer coisa acertada, muito pior seria ter emprestado dinheiro à Coca-Cola para comprar a Compal.

P.S. Os bebedores de Coca-Cola por favor estejam calados...

é engraçado como os

olhovivo (não verificado) on Sábado, 12/11/2005 - 21:36

é engraçado como os primeiros a comentar uma nova noticia acabam sempre por meter muita água.
A prudência pede que primeiro se deixa a poeira poisar e depois se façam comentários...

11-11-2005
União entre Sumolis e Compal cria líder do mercado ibérico
Proposta CGD/Sumolis só 1% mais alta que a da segunda classificada
A luta pela Compal e pela Nutricafés, do grupo Nutrinveste, parece que foi mais renhida do que as primeiras informações davam conta. Acima dos 400 milhões de euros existiram 3 propostas e a CGD/Sumolis só terá vencido porque a sua proposta foi superior em 3 milhões de euros à segunda classificada.

http://www.semanarioeconomico.com/empresas/empresas_index.html

Vão-nos ao bolso e ainda temos que agradecer??

Contribuinte (não verificado) on Segunda, 07/11/2005 - 00:19

O caso é de uma irracionalidade tal que só pode ter corrupção por trás. Ninguém no seu juizo perfeito (e a não ser que tenha muito a ganhar) pega na "gestão" de uma empresa semi-falida e que tem metade da produtividade da Compal e a põe a gerir esta empresa.
A diferença em causa entre o cheque que a Caixa passou e o que as multinacionais davam é de 100 Milhões de Euros. Basta seguir o dinheiro e perceber porque é que a ordem foi dada.
E nem a Sumol vai meter um tostão nisto, porque não o tem. Uma empresa que há dois anos perde dinheiro não tem os 85 Milhões que precisava para os tais 20%. Quem os vai emprestar?... A Caixa, claro!
É seguir o dinheiro...

Falar do que não se sabe...

Anónimo (não verificado) on Segunda, 07/11/2005 - 10:51

Muito se gosta de falar do que não se sabe. Especialmente para se fazerem acusações levianas...
A Sumolis teve de facto resultados negativos, mas isso só quer dizer que a empresa em 2004 facturou menos do que gastou. E estamos a falar de resultados negativos que representam apenas cerca de 2% da facturação. Daí a dizer-se que a Sumolis não tem dinheiro, ou sugerir que esteja em má situação financeira, vai uma grande distância... É esquecer que a marca Sumol é líder no seu segmento há várias décadas... e que os resultados positivos acumulados ao longo deste tempo não tenham sido convertidos em activos que podem ter tido um papel relevante nesta operação.
Enfim, pelos vistos os liberais sociais não diferem muito das outras facções políticas no uso da má-língua.

Bem visto, ó Anónimo:

Contribuinte (não verificado) on Terça, 08/11/2005 - 01:50

Bem visto, ó Anónimo: "Muito se gosta de falar do que não se sabe". Pelos vistos você tomou-lhe o gosto e segue a grande vlocidade.

Ó seu Sumólico, ter resultados negativos não quer "só" dizer que "facturou menos que gastou". Quer dizer que teve mais custos que proveitos. Esta aprende-se em Introdução à Contabilidade para aí no 11º ano, mas como você deve pertencer à Administração da Sumolis se calhar não teve acesso. E se calhar um dia alguém também lhe explica que uma das formas de isso acontecer é ter uma produtividade baixíssima comparada com qualquer outra empresa do sector.

Muito bem continuemos, então como os resultados negativos representam só 2% da facturação está tudo bem. Deve ser por isso que, cabalisticamente, se atiram a comprar 20% da Compal.
Sorte a da Caixa, que pode ficar com os restantes 80%... e, já agora, COMO NÃO ESTÁ PREVISTO NENHUM AUMENTO DE CAPITAL, E A SUMOLIS NÃO TEM MESMO OS TAIS 85 MILHÕES, adivinhe lá o que é que se vai seguir... claro! É a Caixa que os empresta!
Está a ver que os liberais sociais até sabem fazer contas?

Só mais uma ou duas, ó Anónimo inteligente e desinteressado... a Sumol será líder do que quiser, mas um prejuizo é um prejuizo em qualquer parte do mundo, percebe? E não goze com essa dos activos acumulados, que qualquer caloiro lhe explica o que é um balanço...

Ganho da Sumolis

BrainstormZ (não verificado) on Sexta, 04/11/2005 - 22:28

Caro Miguel,

Aos ganhos futuros da participação da Sumolis na Compal tem de se amortizar o investimento efectuado que foi, segundo o Diário Económico, mais 20% a 30% que ofertas concorrentes.

Sumolis

administrador on Sábado, 05/11/2005 - 09:14

Sim, a Sumolis pagou um preço elevado pela Compal e pode não lhe compensar em termos de investimento. Mas espero que com este investimento tenha alguma coisa a ganhar, pois caso contrário, o negócio ainda seria mais irracional.

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação