Várias são as mentiras que tenho ouvido dizer contra o ambientalismo, mas quem se quiser dizer detentor da verdade deve tomar especiais precauções.

De facto durante algumas décadas, houve efectivamente "dúvidas" sobre se o Homem é o responsável pelo aquecimento global.
Mas hoje já não existem dúvidas.
Até a ONU já veio confirmar que efectivamente se trata de mão humana.

Mas apercebam-se bem do absurdo do suposto argumento que frequentemente se ouve: "nada está provado, portanto as actividades poluentes podem continuar". Permite-se então continuar com algo que é perigoso pedindo provas sobre provas algo que é perigoso até ser tarde demais ?
Deixavam alguém brincar com granadas perto de vocês por não estar provado que essas granadas iam explodir?
Eu sei, é um argumento extremista. Mas o paralelismo está lá.

Os argumentos da Melanie demonstram uma total ignorância do ciclo de carbono e perceber o ciclo de carbono é o primeiro passo para se estudar o aquecimento global:
O carbono fixa-se nas plantas, animais e humanos (sim, somos formas de vida baseadas em carbono) mas também se fixa no ar em dióxido de carbono ou metano (outro inimigo do ambiente). Fixa-se ainda no subsolo no petróleo.
Realmente os animais e os humanos expiram dióxido de carbono, mas não o acrescentam à superfície. Apenas o mantêm. Já as plantas (ao contrário do que a Melanie diz), recolhem dióxido de carbono, absorvem o carbono e libertam oxigénio. Lembram-se da fotossíntese das aulas da primária ???
O problema está no carbono que é adicionado ao ciclo da superfície. Ao retirarmos petróleo do subsolo e queimá-lo estamos a adicionar carbono ao ciclo. Para piorar a situação a vegetação terrestre e sub-aquática diminui radicalmente, retendo menos carbono.

Outra demonstração de ignorância da Melanie é dizer que já houve tempos mais quentes. A verdade é que não. Pode se ter registado mais calor num sítio ou noutro, mas o que interessa é a temperatura média. Essa nunca foi maior.
Desafio qualquer pessoa a provar o contrário. A sério, vá lá. Uma provazinha, um estudozinho.

Se a ideia for pegar em 2 teorias e apontar para o meio (o famoso num), convém que as duas sejam igualmente credíveis. Pessoalmente eu prefiro formar as minhas próprias opiniões.

Agora a teoria da Era Glaciar.Temos que ter cuidado com as manipulações de retórica.
Podemos de facto dizer que quando saimos de uma era glaciar começamos a entrar noutra. Mas apenas no mesmo sentido em que dizemos: Quando nascemos começamos a morrer, ou começamos a envelhecer.
Não se pode daí concluir que depois de uma era glaciar a temperatura começa a descer. Há uma altura em que a temperatura sobe e outra que desce (ou até várias intercaladas).
E a ideia de que o aquecimento global nos impede de uma era glaciar é errada. Uma das possibilidades que Al Gore demonstra é que o aquecimento global pode causar uma era glaciar na Europa.

Antes que alguém se lembre, aproveito já para contrapor aquele argumento de que "temos estado a poluir ao longo de décadas, não vai ser em poucos anos que vamos remediar o problema".
O que acontece é que temos vindo a piorar a situação ao longo dessas décadas em níveis que não eram perigosos. Agora entrámos no nível "amarelo". Em breve poderemos entrar no nível "vermelho". Tudo o que nós precisamos é de descer abaixo desse nível amarelo. Não é necessário recuperar décadas, mas apenas os últimos 8 anos, ou talvez 3, ou pelo menos não piorar. E isso consegue-se através de um desenvolvimento da flora e contenção do uso de derivados do petróleo. Era muito, mesmo muito, fácil se todos os paises colaborassem.

Tenho ainda visto várias tentativas de descridibilização do Al Gore . Como sabem o Al Gore é um dos candidatos a prémio Nobel da Paz - aquele que eu considero ser o maior prémio da humanidade.

Se existir alguém com credibilidade perto da do Al Gore a dizer o contrário, força. Chegue-se à frente.

Se os ambientalistas são movidos por lobbies e fundos por baixo da mesa é curioso perceber como é que têm mais resultados que a indústria dos combustíveis e dos transportes.
Coitadinhos dos industriais dos combustíveis e dos transportes que não têm dinheiro para se opor a estes investigadores tiranos e apresentar argumentos válidos.

MAs uma coisa eu sei. Mesmo assim uma grande verdade.
Os primeiros a sofrer vão ser os mais carenciados: os pobres, as pessoas dos países do terceiro mundo e os idosos.
Talvez depois se consiga fazer alguma coisa para salvar os outros.

"Outra demonstração de

Ricardo Sebastião (não verificado) on Quarta, 28/03/2007 - 13:21

"Outra demonstração de ignorância da Melanie é dizer que já houve tempos mais quentes. A verdade é que não. Pode se ter registado mais calor num sítio ou noutro, mas o que interessa é a temperatura média. Essa nunca foi maior.
Desafio qualquer pessoa a provar o contrário. A sério, vá lá. Uma provazinha, um estudozinho."

http://www.stanford.edu/~moore/Boon_To_Man.html

In fact, the evidence supporting the claim that the earth has grown warmer is shaky; the theory is weak; and the models on which the conclusions are based cannot even replicate the current climate. It is asserted, for example, that over the last hundred years the average temperature at the earth's surface has gone up by 0.5deg. Centigrade or about 1deg. Fahrenheit. Given the paucity of data in the Southern Hemisphere, the evidence that in the United States, with the best records, temperatures have failed to rise; the British naval records that find no significant change in temperatures at sea since the mid-1800s; and that the reported increases occurred mainly prior to 1940 -- before the rapid rise in CO2 -- the public is entitled to be wary. Moreover, even the National Academy of Sciences is skeptical of the validity of the computer models and warns that the modeling of clouds -- a key factor -- is inadequate and poorly understood.

What is well known is that climate changes. The world has shifted from periods that were considerably warmer -- during the Mesozoic era when the dinosaurs thrived the earth appears to have been about 18deg. Fahrenheit warmer than now -- to spells that were substantially colder, such as the Ice Ages when huge glaciers submerged much of the Northern Hemisphere.[6] One paleoclimatologist estimated that, during the Precambrian period, the polar regions were about 36deg.F colder than they are in the contemporary world.[7] During the last interglacial, about 130,000 years ago or about when modern man was first exploring the globe, the average temperature in Europe was at least 2deg. to 5deg.F warmer than at present.[8] Hippopotamuses, lions, rhinoceroses and elephants roamed the English countryside. Areas watered today by the monsoons in Africa and east Asia enjoyed even more rainfall then. Indeed during the last 12,000 years, that is since the end of the last glacial period, the globe has alternated between times substantially warmer and epochs that were noticeably cooler.

Hugo escreveu: "Até a ONU

Anónimo (não verificado) on Sexta, 23/03/2007 - 02:13

Hugo escreveu:
"Até a ONU já veio confirmar que efectivamente se trata de mão humana."

A ONU é uma organização política e não científica. Enquanto organização política não lhe é pedida imparcialidade nem lhe é requerido que feche os debates científicos, em especial aqueles acerca dos quais não existe apenas uma teoria.

"Mas apercebam-se bem do absurdo do suposto argumento que frequentemente se ouve: "nada está provado, portanto as actividades poluentes podem continuar". "

Ninguém é tolo para afirmar que as actividades poluentes devam ou possam continuar, aliás nunca houve tanta vontade política como agora de produzir leis e medidas de protecção ambiental. Por exemplo na Grã-Bretanha, o Partido Conservador é um dos pioneiros e que mais persistentemente tem lutado pela protecção do ambiente, o que já lhe valeu elogios de Al Gore (!) sendo o cenário político actual de os 3 partidos com assento parlamentar terem posições semelhantes quanto a este assunto.
Em Portugal, desde o CDS até ao PCP, todos reclamam sua costela ecologista e têm projectos e programas direccionados para os problemas ambientais. Por mais demagogia que haja neste cenário, uma coisa é certa, a consciência dos problemas ambientais é crescente e efectiva.
Até o Bush, imaginem, já fala na protecção do ambiente e assina acordos relacionados com este aspecto (recentemente no Brasil) - por mais ingénuo que isto possa parecer, não deixa de ser demonstrativo do que atrás foi dito: nunca foi tão divulgado nem tão premente o problema em questão e consciência deste nunca foi tão generalizada, não obstante as ditas "opposing views".

Agora os eco-fanáticos que por aí pululam com currículos científicos duvidosos e com intenções e discursos políticos bem notórios, a esses só há uma classificação possível: impostores.
Tanto quanto os outros que procuram minimizar a situação do Alasca, sob a manipulação sabemos nós de quem...
Quanto a Melanie Phillips considero o discurso dela mais político que científico. E quando assim acontece temos outro AL Gore, do outro lado da barricada. Uma coisa é certa ambos vendem muito bem, cada um com a sua treta...

Retrato de Miguel Duarte

Alguns links úteis

Miguel Duarte on Quinta, 22/03/2007 - 22:00

As certezas absolutas são perigosas Hugo, más conselheiras mesmo.

Alguns links interessantes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Scientific_opinion_on_climate_change

ex:

"IPCC concluded that human actions are "very likely" the cause of global warming, meaning a 90% or greater probability." (cuidado com os outros 10%)

"The changes observed over the last several decades are likely mostly due to human activities, but we cannot rule out that some significant part of these changes is also a reflection of natural variability."

http://en.wikipedia.org/wiki/Global_warming

ex:

"Rather, the debate concerns the net effect of the addition of greenhouse gases when allowing for positive or negative feedback.

Contrasting with this consensus view, other hypotheses have been proposed to explain all or most of the observed increase in global temperatures, including: the warming is within the range of natural variation; the warming is a consequence of coming out of a prior cool period, namely the Little Ice Age; and the warming is primarily a result of variances in solar radiation."

"Including model and future greenhouse gas uncertainty, the IPCC anticipates a warming of 1.1 °C to 6.4 °C (2.0 °F to 11.5 °F) between 1990 and 2100. They have also been used to help investigate the causes of recent climate change by comparing the observed changes to those that the models predict from various natural and human derived forcing factors."

O que admitidamente é uma grande diferença.

Mas tens mais:

Numa entrevista a um cientista na CNN:

(http://transcripts.cnn.com/TRANSCRIPTS/0703/13/gb.01.html)

"According to that noted right wing rag, "The New York Times", Al Gore, not so much. Don Easterbrook -- he`s a professor of geology -- says in the article that Gore`s statements are, quote, "full of inaccuracies" and need to be tempered with real data.

Sure, some people might say this guy is a big shill for big oil companies. Wrong, Don Easterbrook hasn`t been paid a nickel by the oil companies, and in his own words, he`s not a Republican. He`s part of a growing group of people who see global warming as a threat but are challenging the scare tactics of extremists.

The article also calls attention to Gore`s claims that our oceans would eventually rise by up to 20 feet destroying parts of New York and Florida along the way.

Turns out it seems Al may have accidentally mistaken feet for inches. The truth is the water level may rise by a maximum of 23 inches over the next 100 years. And that happy fact comes from the U.N., not exactly a credible source in my book. Still, a far cry from the "Poseidon" wave that Al depicts in his movie."

Ou então isto:

(http://www.cnn.com/2007/WEATHER/03/15/warmest.winter.reut/index.html)

"This has been the world's warmest winter since record-keeping began more than a century ago, the U.S. government agency that tracks weather reported Thursday.

The National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) said the combined global land and ocean surface temperature from December through February was at its highest since records began in 1880."

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação