Retrato de Luís Lavoura

Ouvi este fim de semana que o Tratado de Lisboa obriga a que os Estados da União Europeia reconheçam legalmente que os animais são seres sentientes (isto é: que têm sensações) e que nessa condição sejam legalmente protegidos.

Não pretendo discutir aqui se os animais são sentientes ou não - não é isso que está em causa neste post. A questão que ponho é: que necessidade vê a União Europeia em imiscuir-se em questões que, como estas, são de âmbito fortemente cultural?

A União Europeia é uma união aduaneira e económica e pretende talvez ser uma união política do tipo federal. Mas nenhuma união dessas necessita de se imiscuir em questões como esta, que mexem com a visão cultural de cada povo, visões essas que são, necessariamente, diferentes.

A União Europeia precisa, sem dúvida, de ser aprofundada em muitos aspetos. Mas precisa também de se tornar bem menos profunda noutros aspetos.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação