Retrato de Luís Lavoura

A União Europeia prossegue a sua política externa (nos raros momentos em que tem uma!) totalmente asneirenta.

Agora decidiu impôr sanções aos dirigentes da Bielorrússia, incluindo ao seu presidente, com o argumento de que a Bielorrússia não é democrática.

A Bielorrússia, como seria de esperar, ripostou, e agora a União Europeia e a Bielorrússia estão quase de relações cortadas.

Eu não vejo que raio de vantagem extrai a União Europeia de estar de relações cortadas com a Bielorrússia. Nem que raio de vantagem extrairá a Bielorrússia desse facto. Nem que vantagens isso poderá ter para os cidadãos europeus, nem bielorrussos.

Ou seja, a única coisa que a União Europeia conseguiu com as suas sanções parvas, foi piorar a vida para os cidadãos europeus e para os bielorrussos, mas sem extrair vantagem absolutamente nenhuma.

Quando será que a União Europeia se mete na sua vida, em vez de andar a procurar dar lições de democracia aos outros?

A democracia não se ensina através de preceitos: exemplifica-se. E os exemplos que a União Europeia tem dado têm sido, nos últimos tempos, cada vez menos exemplares.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação