Retrato de Luís Lavoura

Estão a ser demolidos diversos bairros de lata nos concelhos limítrofes de Lisboa. Nesses bairros vivem (ou melhor, viviam até há poucos dias) muitas famílias e, ainda mais, homens sós - trabalhadores imigrantes.

Não percebo como se coadunam estas demolições com o "direito à habitação" que os socialistas gostam de defender, mas deixo de lado esse ponto. Ponho apenas a questão: porque se reprime pessoas que, bem ou mal, arranjaram sítio onde viver, e que tentam, a custo, construir a sua vida? Porque se pretende proibir as pessoas de viver nas suas casas, boas ou más que elas sejam, mas que são suas? Não são os imigrantes seres humanos, e não devem eles ser ajudados a melhorar as suas vidas? Mas melhorar as suas vidas passa por melhorar as suas casas - não passa por demoli-las e obrigar os moradores a ir viver para um outro qualquer sítio.

No liberalismo, o esforço das pessoas no sentido de melhorar as suas vidas deve ser premiado. As pessoas devem ter a liberdade de melhorar as suas vidas mediante o seu esforço, da forma que melhor entendam. Não se lhes deve impôr padrões. Neste ponto-de-vista, um imigrante que constrói e melhora a sua própria casa, com os materiais que consegue encontrar, deve ser premiado e apoiado - por exemplo, oferecendo-se-lhe mais materiais, fazendo-se extensões ao seu bairro de sistemas de canalização e recolha de lixo, etc - não deve ser reprimido.

A demolição destes bairros de lata faz parte de uma estratégia de sanitização, que pretende varrer para debaixo do tapete aquilo que, aos olhos da burguesia bem-pensante, é feio e desagradável. Pretende-se esquecer que entre nós vivem imigrantes que, a custo e a pulso, tentam ganhar e poupar dinheiro. Mas pretende-se também eliminar a independência desses imigrantes, proibindo-os de construir eles mesmos as casas em que moram, obrigando-os em vez disso a um regime de inquilinos impotentes de bairros de habitação social que, inexoravelmente, os seus senhorios - as Câmaras Municipais - acabam por deixar degradar.

Retrato de Miguel Duarte

Outras soluções

Miguel Duarte on Quinta, 27/10/2005 - 15:57

Luís,

Penso que existem outras soluções bem mais práticas que construir bairros de latas (com os quais não posso concordar, pois tem que haver o mínimo de planeamento e regras de urbanismo).

Quem quer vir viver para Portugal tem que aceitar que tem que respeitar as leis locais. Isso implica também, não construir bairros ilegais. Se o salário não chega para alugar uma casa com o mínimo de condições, ou exige mais salário, ou se vai embora.

Também não concordo com o Estado subsidiar a construção de casas, não faz sentido. Pois isso sé é um incentivo a ainda mais baixos salários, com o Estado a pagar o restante sob a forma de habitação, ou seja, é uma distorção do mercado de trabalho.

O Estado deve isso sim, criar condições para que as casas tenham preços acessíveis.

Além disso, os bairros de lata, trazem consigo a exclusão social e uma série de outros problemas relacionados que de certeza estás bem ciente.

Soluções:

1. Liberalizar a lei das rendas, com urgência;
2. Auto-construção é aceitável, mas mediante a disponibilização de terrenos para loteamento e a construção segundo regras e planos estabelecidos. Já vi alguns exemplos no país, a este nível, bem sucedidos;
3. Cooperativas de habitação

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação