Retrato de Luís Lavoura

É sempre importante conhecermos a posição das autoridades da União Europeia (ou será das autoridades do Reino Unido? Não se pode ter bem a certeza) sobre a forma como a polícia do Baraine tratou das manifestações de protesto nesse país. Uma súmula é-nos apresentada pelo jornal Guardian:

 

http://www.guardian.co.uk/world/2011/mar/23/bahrain-protest-crackdown-eu-envoy

 

A União Europeia enviou uma missão ao Golfo Pérsico para tomar conhecimento do que se passou. Depois dessa missão o braço-direito da sra. Ashton, sr. Cooper, foi falar com membros do Parlamento Europeu sobre o que tinha averiguado. Sabe-se que morreram 21 pessoas (entre as quais dois polícias) nos confrontos entre polícias e manifestantes, e mais 100 pessoas estão dadas como desaparecidas (*). O sr. Cooper descreveu a situação com fleuma bem britânica: "Não estou certo se a polícia [do Baraine] já alguma vez teve que tratar destas questões de ordem pública. Não é fácil tratar de grandes manifestações nas quais pode haver violência. É uma tarefa difícil para os polícias. É algo que mesmo nos melhores países ocidentais nem sempre conseguimos fazer certo e acontecem acidentes." E acrescentou: "Devemos compreender que as autoridades [do Baraine] fizeram bem em restabelecer a calma e a ordem; era isso que elas deviam fazer." De facto, o Baraine "é um lugar [sic] deveras calmo e pacífico", acrescentou o sr. Cooper, com o cinismo habitual na política de negócios estrangeiros britânica.

 

(*) Espero que não estejam encarceradas nas masmorras de algum dos regimes da região.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação