Retrato de Luís Lavoura

Há muita gente muito excitada por, pela primeira vez, uma mulher ir ser candidata à presidência dos Estados Unidos. Eu não acho isso particularmente excitante, porque

(1) O que é importante é que haja bons candidatos, não qual o sexo deles. Nada me sugere que uma mulher seja necessariamente melhor candidata que um homem. Eu prefiro ter um homem bom candidato do que uma mulher má candidata.

(2) Os Estados Unidos são, em matéria de igualdade, um país peculiarmente atrasado. Já há muito tempo que há mulheres nos postos mais importantes de diversíssimos países, incluindo o Bangladeche, a Birmânia, o Chile e a Alemanha. Os Estados Unidos serão apenas mais um país entre muitos outros que já têm ou tiveram uma mulher a liderá-los.

(3) O que interessa não é ser candidato, o que interessa é ser eleito Presidente. E, neste ponto crucial, a sra. Clinton deixa muito a desejar: ela tem excelentes probabilidades de vir a ser derrotada por Donald Trump e tudo indica que o seu opositor Sanders teria, pelo contrário, grande capacidade para derrotar Trump. O facto é que, ao escolher a sra. Clintom, o Partido Democrata está a dar um grande tiro no seu próprio pé. É que, das candidatas derrotadas não reza a História...

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação