Retrato de David Cruz

Vladimir Putin está preocupado com o envelhecimento e declínio da população russa, pois, segundo o mesmo, encontra-se em causa a soberania do país. Deste modo, apelou aos cidadãos, num tom moralista a lembrar os tempos da União Soviética, para que passassem a ter três filhos, prometendo apoios financeiros às famílias que estiverem dispostas a cumprir o suposto dever patriótico.

No entanto, importa colocar as seguintes questões: Os russos querem realmente ter três filhos? As autoridades possuem legitimidade para influenciar/definir as trajectórias reprodutivas dos cidadãos? Porque devem ser favorecidas as famílias com três filhos e excluídas as que têm menos? E os indivíduos que não têm filhos? É justo que as famílias que optaram por uma determinada trajectória reprodutiva (ter poucos filhos) financiem as famílias que optaram por outra trajectória reprodutiva (ter muitos filhos)?

A Rússia não será o primeiro nem o último país a querer interferir com rumo da natalidade. Recentemente, a China revelou a intenção de revogar a política de filho único, pois esta prática coerciva acelerou o envelhecimento demográfico, sendo expectável uma inversão rápida de políticas anti-natalistas para políticas natalistas.

No ocidente identificam-se alguns impulsos populacionistas, que certamente se tornarão mais frequentes à medida que se agrave a insustentabilidade dos sistemas de segurança social. No ano passado, em Portugal, a Presidência da República organizou uma conferência com o intuito de se discutir o “problema da natalidade”. Neste âmbito, a propósito da necessidade de intervenção estatal no aumento do número de nascimentos, António Barreto recordou o óbvio mas que parece estar esquecido: “(…) é o povo que faz filhos, não as autoridades”.

Retrato de Luís Lavoura

xenofobia

Luís Lavoura on Quinta, 13/12/2012 - 11:44

O que eu acho curioso nestas políticas é que elas são sempre influenciadas, ou por uma má perceção do mundo como tendo fronteiras fechadas, ou então por visões xenófobas ou racistas.

De facto, no mundo real, atual, as pessoas podem livremente migrar de um país para outro. Por mais que nasçam russos, nada os impede de irem viver para outro país qualquer. E a Rússia tem mesmo ao pé de si a China, com montes de gente que pode querer migrar para a Rússia, pelo que jamais haverá um verdadeiro problema de falta de gente na Rússia.

vai dizer isso aos sérvios...

zeca marreca de braga (não verificado) on Sexta, 14/12/2012 - 01:09

... do Kosovo, se ainda encontrares algum que não num cemitério...

Retrato de David Cruz

sem dúvida!

David Cruz on Quinta, 13/12/2012 - 16:14

Sem dúvida! Há uma correlação fortíssima entre perspectivas populacionistas e nacionalismos.

A dinâmica populacional é moldada pelas componentes natural e migratória. A primeira é excessivamente valorizada, sendo que a última é frequentemente ignorada.

migração

zeca marreca de braga (não verificado) on Sexta, 14/12/2012 - 02:05

Pois, mas por acaso Putin referiu mais explicitamente o retorno dos 10 milhões de russos no estrangeiro do que o apoio para o 2º filho (o 3º só foi referido para regiões demograficamente muito deprimidas). Dá jeito ouvir os discursos completos antes de mandar bitaites...

Retrato de Luís Lavoura

retornar?!

Luís Lavoura on Sexta, 14/12/2012 - 17:20

Ainda há poucos dias falei com um russo que vive na Europa. Ele disse-me que se recusa terminantemente a regressar à Rússia, apesar de ter lá um emprego e cá estar desempregado. Dz que o clima de nacionalismo agressivo, corrupção, etc que se vive na Rússia é insuportável e que não se sentiria seguro (pela sua própria vida) lá.

As pessoas não retornam ao seu país pelas boas falas dos governantes.

Retrato de David Cruz

Não me parece que isso faça

David Cruz on Sexta, 14/12/2012 - 12:36

Não me parece que isso faça das autoridades russas menos xenófobas e menos controladoras dos comportamentos reprodutivos dos cidadãos…

Xenofobia???

zeca marreca de braga (não verificado) on Sexta, 14/12/2012 - 12:57

Proteger legalmente a natalidade é tão "controlador dos comportamentos reprodutivos" como não proteger a natalidade.

Xenofobas? As autoridades russas? Xenofobas quanto a quem? As Udmurts? Aos Cazaques? Aos Ingushetios? Aos Chukchas? Mas eles SÂO as autoridades russas...

Retrato de David Cruz

...

David Cruz on Sexta, 14/12/2012 - 15:03

Zeca Marreca, não me parece que o Putin esteja disposto em assegurar a “soberania” da Rússia com, por exemplo, etíopes. Tente emigrar para a Rússia, depois conversamos.

Compreendo que se sentisse confortável caso um “Cavaco Silva” ou um “Passos Coelho” lhe dissesse quantos filhos deve ter. Pessoalmente, dispenso moralismos.

Cumprimentos

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação