Retrato de Miguel Duarte

Já votei!

3 votos, 3 partidos diferentes.

1. Para a Câmara Municipal de Lisboa: Optei por ajudar a eleger um vereador de um partido que com um pouco de sorte (votos), o deve conseguir fazer. Não votei em nenhum dos grandes pois, depois do debate na televisão, claramente não merecem o meu voto.

2. Para a Assembleia Municipal de Lisboa: A diversidade é uma coisa boa, por isso votei num outro partido, que também não foi nenhum dos dois grandes. Além disso, é bom que os vereadores da câmara estejam sob o controle de outros partidos e que tenham que negociar com estes.

3. Junta: Apenas aqui um dos grandes mereceu o meu voto. Não resido na dita, mas o trabalho no último mandato foi bom, por isso, merecem continuar.

Uma reflexão:

Parece-me que para a Câmara se devia mesmo votar em pessoas (nomes) e não em partidos. Podendo até haver mais do que uma pessoa do mesmo partido. No fim, os mais votados seriam eleitos para vereadores

O presidente deveria ser eleito pela Assembleia Municipal, sendo obrigatóriamente um dos vereadores eleitos.

Excelente proposta.

Pedro (não verificado) on Segunda, 10/10/2005 - 14:20

Excelente proposta, Miguel. Concordo a 100%. Mas os grandes partidos - PS e PSD - nunca aceitarão perder o controlo sobre a definição na prática do "cabeça de lista" e candidato a presidente da câmara (e perderiam porque seria politicamente difícil escolher um seu vereador que tivesse menos votos que outro na mesma lista), e depender dos menores partidos na Assembleia Municipal. Estão-se a marimbar para a Democracia e só lhes interessa o Poder.

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação