Retrato de Miguel Duarte

A China tem o privilégio de ter 16 das 20 cidades mais poluídas do mundo . Algo que o Banco Mundial afirma causar cerca de 760.000 mortes prematuras anualmente.

As coisas vão mudar, as coisas estão a mudar, mas até que mudem muito mais pessoas vão morrer.

Infelizmente, os regimes totalitários (de esquerda ou de direita e a China pende mais para a direita actualmente), não são propriamente bons exemplos de protecção ambiental. No caso da China estão inclusivamente a haver pressões do governo sobre o Banco Mundial para que estes dados não sejam efectivamente publicados em relatório, por forma a evitar mais revoltas (o números de manifestações na China tem aumentado todos os anos).

Democracia é o único sistema que garante, via a pressão popular e de ONGs, que o meio ambiente é protegido.

Retrato de Filipe Melo Sousa

China Cumpridora

Filipe Melo Sousa on Quarta, 04/07/2007 - 09:12

A China cumpriu a sua parte dos objectivos do protocolo de Quioto
que era.. não ter de reduzir nada, nem se comprometer com aumentos mínimos (brilhante acordo...) E assim passou a ser o maior poluidor

era mais ou menos este o motivo pelo qual os EUA recusaram entrar num acordo destes

Retrato de Luís Lavoura

Confusão

Luís Lavoura on Quarta, 04/07/2007 - 10:52

Filipe, estás a misturar a poluição com o protocolo de Quioto, coisas que nada têm a ver uma com a outra.

O protocolo de Quioto trata do aquecimento global e dos gases que o provocam, nomeadamente o dióxido de carbono. O dióxido de carbono não é um poluente - não mata ninguém nem é perigoso para a saúde.

A poluição que mata 760.000 chineses por ano, verdadeiramente grave, são partículas no ar, são gases tóxicos na atmosfera: monóxido de carbono, óxidos de azoto, dióxido de enxofre. O protocolo de Quioto nada tem a dizer sobre esses gases, nem sobre as partículas (ainda mais perigosas do que os gases).

Luís Lavoura

Poluidores

Ismael Paulino on Terça, 03/07/2007 - 18:24

Sendo o Estado chinês um grande poluidor, e cada vez mais, é urgente que as críticas que habitualmente incidem apenas sobre os Estados Unidos passem a incidir também sobre a China.

Retrato de Luís Lavoura

Pequenos negócios

Luís Lavoura on Terça, 03/07/2007 - 15:33

Este post está correto, mas é preciso fazer notar que, se a China é tão poluída, isso não se deve essencialmente a o Estado chinês ser um grande poluidor. Quem polui a China são essencialmente o grande número de pequenos negócios que utilizam tecnologias particularmente ineficientes e sujas. Por exemplo, em muitas aldeias há pequenas fundições artesanais, que queimam carvão de uma forma muito ineficiente, em fornalhas sem quaisquer filtros nas chaminés, para fundir o ferro.

Se se quiser uma comparação com o caso português, compare-se um moderno automóvel com uma daquelas motorizadas com três rodas que dantes se utilizavam para levar vegetais da horta para os mercados. Essas motorizadas, embora pouco potentes, têm motores muito primitivos, que queimam carburante de uma forma muito mais ineficiente e muito mais poluidora do que um automóvel.

Na Índia passa-se o mesmo. As cidades indianas são brutalmente poluídas, em grande parte, devido ao grande número de pequenos veículos motorizados muito ineficientes, os quais são utilizados sobretudo pelas pessoas mais pobres.

Trata-se de um caso claro em que o crescimento económico e a riqueza trazem consigo melhorias ambientais, mesmo sem qualquer intervenção dos Estados, pela simples ação da substituição de tecnologias mais dispersas e ineficientes por tecnologias mais centralizadas e eficientes.

Luís Lavoura

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação