Retrato de Miguel Duarte

De um artigo na Visão, surgiu-me uma pequena ideia, que talvez fizesse algum sentido. É tudo uma questão de procurar oportunidades onde estão ameaças (tal como nos ensinam nas escolas de gestão).

A ameaça, é evidente, devido à China, em Portugal, temos só na área dos têxteis, cerca de 220.000 empregos em risco (o total de empregados nesta área).

A oportunidade? Quem tal sermos a porta de entrada da China na Europa? Se é certo que este país vai ser determinante para o futuro, porque não investimento já fortemente em criar fortes laços com a China (se necessário até de uma forma formal), por forma a que esta veja Portugal como uma ponte para a Europa?

Devemos obviamente começar a ter cursos superiores de Chinês, os nossos cursos de relações internacionais deverão cobrir este vasto país, os nossos gestores deverão fazer estágios na China, os chineses em Portugal deverão ver a sua vida facilitada e deverão ter direito a cursos de Português (aliás, tal como todos os outros imigrantes).

Poderão fazer-se acordos directos com o governo Chinês, para a criação de joint-ventures entre empresas portuguesas e chinesas, tentando aliar a mão -de-obra barata chinesa ao nosso know-how em determinadas áreas (que até temos), fortalecendo quer a indústria Chinesa, quer a nossa própria indústria.

E muito mais certamente se poderá fazer nesta área. Aqui fica a ideia.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação