Retrato de Filipe Melo Sousa

Quanta riqueza produzimos ao despejar uma tonelada de CO2 na atmosfera? Dependerá da eficiência ambiental de cada economia. Os campeões desta lista são a Suíça: com uma tonelada de CO2, os Suíços produzem $9.415 para o cidadão. Em Portugal $2.972. Ambos mais eficientes que a média mundial.

resumindo
Suíça: 9.415 $
Portugal: 2.972 $
EUA: 2.118 $

Mundo: 1.813 $

Índia: 614$
China: 525 $

No mapa poderão distinguir as economias de baixo-carbono das economias de alto-carbono. A verde, os países que fazem uma gestão eficiente do seu consumo de energia. A vermelho, os países de indústrias poluidoras.

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_ratio_of_GDP_to_carbon_dioxide_emissions

AnexoTamanho
800px-Ratio_of_GDP_to_carbon_dioxide_emissions.PNG99.1 KB

Só mais uma coisa

Gonçalo Pacheco de Faria (não verificado) on Terça, 27/03/2007 - 13:11

Não esquecer que no mundo desenvolvido predomina o sector terciário (menos intenso em energia) e no mundo subdesenvido o sector industrial.

Retrato de Filipe Melo Sousa

Pentavices à la carte

Filipe Melo Sousa on Terça, 27/03/2007 - 13:28

Sim Gonçalo, se excluires desta estatística todos os países mais poluidores que os EUA, os EUA são o país mais poluidor da lista restante, o que os punha em vermelho.

Convido-te desde já a apresentar um protesto veemente à Wikipedia, e a redigir a página com a lista que propões.

O que é que se deve concluir?

Gonçalo Pacheco de Faria (não verificado) on Terça, 27/03/2007 - 13:08

É óbvio que os EUA ficam bem na figura quando comparados com todo o mundo, incluindo o subdesenvolvido.

Eu considero intelectualmente desonesto comparar intensidades energéticas (na forma de criação de riqueza por unidade de carbono consumida), entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos, como forma de tentar chegar à conclusão que o esforço deve vir dos países subdesenvolvidos.

Os EUA são sem dúvida uma economia eficiente no cômputo global, todavia numa análise à partição países desenvolvidos poder-se-ia constatar quão débil é a posição dos EUA em matéria de intensidade de carbono na economia.
Só mais duas achegas:
1) 500 dólares na China têm um peso bem superior a 500 dólares nos EUA (paridade poder de compra) - comparação de riqueza criada por carbono consumido sem ter isto em conta é desonesto
2) quanto maior o estádio de desenvolvimento de uma economia maior a possibilidade de diversificação e complexificação de formas de produção (associada a uma maior capacidade de criação de valor acrescentado)e, naturalmente, também isso se faz sentir no campo energético com a possibilidade de diversificar para outras fontes de energia. Ou seja, é muito mais fácil introduzi-las numa economia madura como a americana do que em economias (e.g. Índia) ainda a descolar

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação