Humor

Tudo o que faça rir um pouco.

Eu não li, mas o Marcelo Rebelo de Sousa também não.
Pode parecer improvável visto que estamos a falar da pessoa do PSD que lê tudo o que há para ler, mas tudo indica que o professor nem teve acesso ao documento.

Quando lhe pediram para falar sobre o programa ele disse que o programa era inteligente e eficaz. Ora aqui estão dois adjectivos que não nos dizem absolutamente nada e que podiam ser utilizados para descrever o guião do “Noddy”.

Mas Marcelo justifica os seus adjectivos através de três características.

A primeira é que é global. Vai aos principais pontos das questões políticas.
A meu ver isto não é uma qualidade, mas sim um requisito para se chamar um programa político.

A segunda vantagem enumerada é igualzinha à primeira: aborda a maioria dos grupos em Portugal. Ora bem, se já abordava a globalidade dos problemas é natural que também aborde a globalidade dos grupos e dos portugueses.

A terceira vantagem conforme enumerada pelo professor é o verdadeiro ex-libris: é um programa feito para duas legislaturas. Uau. Isto significa que todas as asneiras feitas nos próximos 5 anos estarão justificadas à partida, porque era suposto serem resolvidas no segundo mandato.

Ora bem. Eu também não li o programa do PSD e mesmo assim conseguia fazer um discurso bastante melhor e também em 3 pontos. Ora vejam:

“1 - O programa do PSD é uma solução. Apresenta resposta a todas as grandes discussões que ficaram por resolver durante o governo de Sócrates.

2 – O programa do PSD é uma solução global. Não vê o trabalho de cada ministério isolado, mas antes analisa os desafios de Portugal como um todo.

3 – O programa do PSD é uma solução global para o futuro, pois tem uma visão que vai muito além do presente e do seu mandato. O trabalho que será feito neste mandato será sentido ao longo de várias décadas.”

Caro Professor Marcelo Rebelo de Sousa. Confesse. Nunca leu o programa, pois não?

E nem sequer teve tempo para preparar um discurso decente. Enfim, desenrascou-se

Alguns comentários do Almirante Pinheiro de Azevedo, primeiro ministro VI Governo Provisório, em 1975.

Que existam pessoas acusadas de crimes em partidos políticos ou quaisquer outras associações, sendo de lamentar, não deve surpreender demasiado. Todas os grupos têm as suas "ovelhas negras."
Contudo, não deixa de ser curioso que, e de acordo com esta notícia , um militante do Partido Nacional Renovador, para mais nascido num país estrangeiro, se dedicasse à imigração ilegal, em completo desacordo com as orientações do seu partido...

Retrato de Luís Lavoura

O rei da Madeira, Alberto João Jardim, foi a Caracas, Venezuela, e pôs-se a falar de política nacional no estrangeiro. No âmbito das comemorações do Dia da Madeira e das Comunidades Madeirenses (e eu que não sabia que existisse tal Dia!), anunciou que vai promover, em Outubro do próximo ano, um referendo aos madeirenses para saber se estes desejam uma revisão constitucional que dê mais autonomia à tribo madeirense e ao seu soba.

Eu acho isto porreiro. Espero que o deixem promover o referendo e que os madeirenses, todos eles em uníssono, gritem a uma só voz o seu desejo de autonomia, muita autonomia. É que eu estou ansioso por que eles sejam autónomos, o mais autónomos possível! E a União Africana, ou os Estados Unidos da América, certamente se alegrarão por terem mais um Estado membro!

Só um pormenor me preocupa: quem são os madeirenses que votarão no referendo? É que vivem na Região Autónoma da Madeira dezenas de milhares de cubanos. E há centenas de milhares de madeirenses expatriados, por exemplo em Caracas, Venezuela. Espero que o rei tenha o cuidado de destrinçar bem quem são os membros da sua tribo antes de os deixar pôr-se a votar.

She was the most fierce catholic person that I’ve known. She was catequist; and she mentioned faith, Jesus or God (not in vain) in every conversation, in almost every sentence she said. There are not many people in rural Portugal who know or talk about the freemasonry – but there she was, blaming those who mocked the Holy Cross.

And yet, this ultra-religious person that blamed divorce as a source of infinite evil, she was capable of surprising me. The last time I saw her, she talked about marriage. Today, people are not tolerant, and divorce is a plague. But, then again, she talked about her own marriage. She has been married for almost 50 years... a happy marriage, I suppose? Yes, but yet, she had some problems:
“Ele empiteirava-se…”
Ok, she complained a little of the alcohol problems of her husband. And what did she do about? Of course, she didn’t left him; you don’t walk away from your commitment. However, she didn’t remained silent: “ele começou a dizer que se suicidava por causa de nós e eu comecei a dizer na rua como é que as coisas se passavam. Sim, que as pessoas também acabavam por perceber…”
Was she raising false testimonial? No. Was she difamating her husband? I’m not sure... problably not. What impressed me was that she was using tactics to tackle the situation – using the public space to defend herself in the private space – that I would link to Feminism, of Protestant societies...
Maybe that tactics is part ot Catecism of the Catholic Church, as mentioned by Dr. Arroja in his blog? I don’t know. What I know is that today, “se calhar não aturava tanta coisa.” Is this a sign that Catholic societies are being progressively conquered by protestant values, even among the loyalest people? Or, does it simple mean that Catholic women are more aware that God doesn’t tell them to be like “mulas”?

Retrato de Luís Lavoura

Esta foi ouvida e vista ontem no telejornal da RTP 2.

Está a ser rodado no Porto um filme cujos atores são estrangeiros mas cujo produtor é o português Paulo Branco. Entrevistaram um ator francês, aparentemente bastante conhecido. Perguntaram-lhe o que pensava de Paulo Branco. Respondeu (sic): "É um tipo muito inteligente e brilhante, portanto, creio que não se trate de um português típico."

Retrato de Miguel Duarte

Mais um vídeo do Osama Bin Laden... Com palavras extremamente preocupantes.

Retrato de Miguel Duarte

Discussão humorística sobre religião nos EUA e os absurdos defendidos pelos vários cultos.


Retrato de Luís Lavoura

Instado a comentar o facto de a sua esposa ter participado na manifestação de professores, o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, respondeu: "Não comento a vida privada da minha mulher."

Hoje de manhã ao passar pelos jornais online, deparei com isto:

Já foi retirada a foto, mas estava inicialmente neste artigo.