Humor

Tudo o que faça rir um pouco.
Retrato de Igor Caldeira

O que muita vontade de agradar e alguns clichés culturais produzem.

«O cepticismo racionalista dá lugar ao niilismo e, com ele, ao fanatismo.» - @Expresso.pt

Já que o cepticismo face a doutrinas, dogmas e autoridades, descamba em fanatismo niilista, para evitar tais males devemos ser todos uns carneirinhos crédulos e complacentes. Que atrevimento do ser humano em querer pensar por si próprio. Nope. We can't have that.

Retrato de Miguel Duarte

Mais não fosse porque no Paquistão um líder radical islâmico acabou de justificar a sua proibição ao tentar fugir à justiça disfarçado de mulher. Ou seja, a burca é efectivamente um risco para a segurança.

Só me interrogo se um homem vestir-se de mulher não será pecado à luz da interpretação deste radical.

DN: - Não foi um[SIC] anedota de[SIC] fez espoletar o processo disciplinar?

Margarida Moreira - Directora da DREN - Não. Foi um insulto e não tem nada a ver com a licenciatura do primeiro-ministro. É um insulto ao cidadão José Sócrates, que além de cidadão é o primeiro-ministro de Portugal.

@DN

Sei que este video já é antigo mas vale a pena rever. Até porque podiamos fazer um em Portugal em relação aos imigrantes.

Este post é dedicado ao liberal luso-canadiano Filipe Brás :p ;)

Retrato de Igor Caldeira

Eu adoro o João César das Neves: ele mistura a beatice católica mais analmente retentiva que se possa imaginar com uma sinceridade infinita em cada bacorada salazarista que consegue cuspir. É um tipo às direitas!

Ao que parece, ele não consegue distinguir entre duas (ou, já agora, mais) pessoas maiores de idade que livremente desejem ter relações sexuais (e/ou afectivas) e por exemplo a proibição de entrarmos numa via de sentido proibido ou de caçarmos no jardim lá do bairro.

Como é óbvio, os resultados são naturalmente os mesmos. Impagável.

http://www.destak.pt/artigos.php?art=816
"O tabu
Tribunais americanos estão a discutir a poligamia. Algumas seitas religiosas usam-na, desafiando a lei, e certas consequências geraram compreensivelmente processos criminais.
Este estilo de vida, como a prostituição, ainda luta pela legalização, mas homossexualidade e pornografia já estão na fase de reconhecimento oficial, envolvendo vários políticos na campanha.
Por detrás disto tudo está o tabu fundamental de um tempo que se diz sem tabus: «como se pode proibir ou limitar a sexualidade consentida entre adultos?».
Curiosamente, este argumento parece decisivo a muitos. Curiosamente, porque quase todas as outras actividades consentidas entre adultos são hoje, não só altamente regulamentadas, mas até proibidas, criminalizadas e punidas.
Contratos de trabalho e arrendamento entre adultos que consentem estão sujeitos a miríades de regras e restrições. Quem abre um restaurante ou uma loja de comidas, anda de carro ou caça, tem de cumprir milhares de regulamentos, que o sujeitarão a pesadas penas, mesmo que só se envolvam adultos que o desejem.
O tráfico de droga, contrabando e múltiplas outras actividades praticadas entre adultos que, mais que consentindo, estão mesmo ansiosos por isso, continuam proibidos e perseguidos. E com toda a razão!
Por que motivo então a sexualidade tem de ser a única acção onde basta o consentimento de adultos? Será por ser pouco importante? Por acaso, é muito mais influente que qualquer das outras. Por que razão é então? Muitos acham a resposta evidente. De facto, os tabus nunca precisam de justificar os seus motivos. Por isso é que são tabus.
João César das Neves"

Retrato de Miguel Duarte

Comentário do JLP aqui:

"Quem não conseguir comprar ou produzir o necessário para viver, recebe diariamente da safety net a quantidade mínima de calorias e de nutrientes que impeça que ele morra."

Retrato de Igor Caldeira

Ann Coulter, para quem não a conhece, é o exemplo acabado da idiotice conservadora em geral, e dos conservadores americanos em particular. Um dos seus desportos favoritos é chamar gay a políticos de quem não goste - Edwards ou Clinton.
Neste filme, ela é arrasada.
A ver.