Retrato de Luís Lavoura

Ao que parece, desde que foi feita a reforma das freguesias, passou para elas a competência de licenciar a instalação de esplanadas.

E, pelos vistos, elas são bastante eficientes (= pouco burocráticas) nesse licenciamento: desde que a reforma foi feita, têm-se multiplicado as esplanadas em Lisboa. Atualmente, todo e qualquer pequeno café ou restaurante que tenha à sua frente um pouco de passeio, tem direito a instalar uma esplanada.

A mim, como peão que sou, isto irrita-me. Parece-me uma privatização despudorada do espaço público. Os passeios ficam mais estreitos, temos que andar sempre a passar por entre pessoas sentadas no meio do passeio.

Uma sugestão: que as freguesias estabeleçam limites ao número total de esplanadas que seja permissível instalar no seu território; e, depois, que leiloem as autorizações para instalação de esplanadas. O restaurante ou café que pagar mais, tem direito a instalar; o que pagar menos, não tem esse direito.

Só dessa forma, ou outra análoga, se poderá impedir que, daqui a pouco tempo, praticamente todas as ruas estejam parcialmente cobertas de esplanadas. Com um espaço reduzido ou, no limite, quase nulo para os peões circularem.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação