Retrato de Luís Lavoura

Lemos que durante os recentes incêndios as autoridades evacuaram dezenas de aldeias, e ficamos impressionados com o imenso trabalho que as autoridades tiveram a evacuar tantas aldeias.

Mas, na verdade, cada uma dessas "aldeias" consiste hoje em meia-dúzia de casas habitadas, em média. É pouca gente.

A minha questão, porém, é: já agora, que se teve tanto trabalho em evacuar essas aldeias todas, não seria boa ideia tentar impedir que os habitantes a elas regressem? É que esta coisa de ter milhentas povoações de minúsculo tamanho é altamente prejudicial para um combate eficaz aos incêndios (os bombeiros gastam imenso tempo e esforço a procurar defender pequenos aglomerados dispersos de casas, em vez de estarem efetivamente a combater o fogo em geral) e constitui um grave risco para as próprias populações das aldeias.

Eu bem sei que se trata em grande parte de velhos casmurros, que não querem nem por nada abandonar a terreola onde sempre viveram. Mas é preciso alguém que tenha a coragem de meter juízo na cabeça dessa gente!

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação