«No início do século XXI, o esgotamento dos combustíveis fósseis foi recebido com desespero, incredulidade e fabulações conspirativas, sobretudo nos países que se consideravam "desenvolvidos." A ilusão da separação da natureza chegara a tal ponto que a diminuição do fluxo de petróleo extraído do subsolo apenas podia ser considerada como o resultado da manipulação dos mercados e de políticas obscuras e perversas. A parte de verdade destas conjecturas lançou um manto ainda mais espesso sobre a real situação das reservas energéticas terrestres.

«Em vez de clamarem por uma reconversão energética urgente e pelo investimento massivo em energias não-tóxicas (ou "renováveis," como então se chamavam), os cidadãos dos países "desenvolvidos" multiplicaram as manifestações, reivindicando o abaixamento dos impostos sobre os combustíveis e a introdução dos mais variados subsídios. A consequência desta ilusão colectiva foi o desgaste acelerado das reservas de energia fóssil, o que conduziu, a breve trecho, às convulsões e aos massacres que marcaram indelevelmente os anos 2010 e 2020, assim como à brutal degradação do ecossistema planetário.

«Foi neste quadro dramático que um grupo de pioneiros, secretamente apoiado pelos governos Norueguês e Suíço e por um punhado de magnatas em troca de "bilhetes para o céu," desenvolveu o Projecto Marte 2040 graças ao qual vivemos hoje no nosso amado Planeta Vermelho.»

Fontes

Miguel Montenegro on Sexta, 06/06/2008 - 11:56

Inventei. A fonte em todo o caso é a mencionada: "História do Planeta Terra, Sidónia, 2113, pp. 783-784."
Um abraço,
M

fontes

Hugo Garcia on Sexta, 06/06/2008 - 10:51

Ola Miguel,

eu sou um entusiasta de estudos futuros e a colonização de Marte é um tema que me interessa.
Por acaso, isso inventaste tu por brincadeira ou tiraste mesmo de algum lugar.
Se sim, de onde foi?

abraço

Hugo

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação