Retrato de Luís Lavoura

Os incêndios são consequência direta do abandono da agricultura de subsistência que se praticava em Portugal até à década de 1960.

Até essa década Portugal era muito densamente povoado e os portugueses ganhavam o pão-nosso-de-cada-dia cultivando batatas, trigo, centeio e milho. Trata-se de culturas anuais que exigem limpeza intensiva dos campos. Em junho e julho as batatas e o trigo são apanhados e só fica nos campos o restolho; o milho só é apanhado em setembro, mas só ocorre em terras bem irrigadas e frescas. Os campos cultivados com estas culturas anuais estão sempre limpos e não ardem.

A partir da década de 1960 a agricultura de subsistência foi abandonada. As pessoas passaram a ganhar a vida nas cidades ou no estrangeiro. Os campos que antes serviam para cultivar batatas e cereais passaram a ser ocupados, ou com floresta ou com culturas perenes, como vinhas ou olivais, que não são tão intensamente tratados  e que ardem.

Continua a não haver incêndios no Alentejo, uma vez que este continua em grande parte a ser objeto de agricultura (e de pastoreio, que retira das terras as ervas que mais facilmente ardem).

Os incêndios são uma consequência do abandono da agropecuária de subsistência. É difícil ver como é que se pode, no nosso clima, acabar com os incêndios sem que haja quem cultive os campos. E o problema é que cultivar os campos, que em Portugal são montanhosos (Portugal é um país extraordinariamente montanhoso por padrões europeus) e de solos pobres, não é economicamente competitivo.

Não vale a pena comparar Portugal com outros países do sul da Europa. Na Europa do sul costuma chover mesmo no verão, e o Mediterrâneo assegura que o ar é muito húmido. Espanha não é assim, mas Espanha é um planalto com boas terras agrícolas: grande parte de Espanha é uma imensa seara de trigo.

Retrato de plancq

Olá Senhor /

plancq on Segunda, 02/10/2017 - 11:26
Olá Senhor / Senhora
Oferecemos nossos serviços para as pessoas honestas que estão na necessidade de apoio financeiro ou de actividades geradoras de rendimentos e criar um futuro melhor com uma taxa de interesse de 2% considerado. Eu diria que estou pronto para dar o indivíduo.
Oferecemos empréstimos entre particular, de 2.000 € a 10.000.000 € à condições muito simples.
Estou disponível e disposto a discutir todas suas necessidades financeiras, nas seguintes áreas:

-Empréstimos imobiliários
-Empréstimo de investimento
-Empréstimo de Carro
-Consolidação da dívida
-Linha de crédito
-Segundas hipotecas
-Resgate de crédito
-Os empréstimos pessoais

Não hesite em entrar em contato conosco se você estiver interessado, o prazo de retorno entre um para cada ano de acordo com a soma emprestada.
Nossos termos de empréstimo são:

- Um formulário para preencher.
- Um acordo de empréstimo deve ser feita pelo nosso oficial de justiça
- Nossos empréstimos estão sujeitos a juros de 2% ao ano.
- Nossos empréstimos são geralmente pagos por cheque ou transferência bancária.

Me contactado por e-mail: [email protected]m 

Você também pode aplicar diretamente para o site de meu banco: http://financemutuelcredit.com/

No refrão, a sério!

 

 

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação