Retrato de Luís Lavoura

Recorrentemente os políticos e comentadores do Porto queixam-se de que o Estado desinveste na sua região e investe prioritariamente em Lisboa. Ainda agora voltamos a ouvir essa lengalenga, pelas vozes de Rui Rio e de Rui Moreira, queixando-se de que o Estado vai deixar de construir um TGV Lisboa-Porto e um TGV Porto-Vigo.

Eu recentemente fui duas vezes de automóvel à região do Porto. Qual não é o meu espanto ao deparar com a auto-estrada A1 quase totalmente vazia de automóveis na terra de Santa Maria. Só então me lembrei de que há atualmente, quase encostada a essa autoestrada A1, uma outra autoestrada paralela mas onde não se paga portagem. Nós cá em Lisboa não temos luxos desses, duas autoestradas a correr em paralelo. Continuando em direção a Norte, deparo com um maravilhoso trecho de uns dez quilómetros em qua a A1 tem quatro faixas em cada sentido, com um tráfego porém diminuto. Uma maravilha, uma autoestrada larguíssima mas com pouquíssimo tráfego. Nós cá em Lisboa não temos disso, até Vila Franca (20 quilómetros) há apenas três faixas e quase sempre com muito tráfego.

Fiquei convencido de que os queixumes portuenses não têm razão de ser. A região do Porto está muito melhor servida de autoestradas do que a de Lisboa.

pois, tem razão, eu uso a A 8

rui moreira (não verificado) on Terça, 09/03/2010 - 18:26

pois, tem razão, eu uso a A 8 paralisboa que também não tem tráfego. quando vou de lisboa para évora, uso a auto-estrada para madrid, que também está vazia. quando voo para lisboa enconro a portela à moscas. enfim...
adiemos tudo, combinado?

Conheço bem as autoestradas à

RJ (não verificado) on Terça, 09/03/2010 - 15:53

Conheço bem as autoestradas à volta do Porto (trabalhei lá um ano). A determinada hora, são caóticas. Não há alternativa a nenhuma, pois as estradas nacionais entre Porto e Braga, Viana, Valongo e Espinho estão sempre empatadas.

A A1 é o maior eixo rodoviário do país e tem sido recentemente expandida naquela zona para 3 faixas de rodagem (a partir de estarreja-Feira). Acho estranho terem feito isso quando quase toda a gente foge desse troço para poupar 2eur usando a A29.

O caso da A29 é estranho e passo a explicar. Justifica-se a portagem apenas até à zona de Sta. Maria da Feira, altura em que a Autoestrada passa a via rápida, com muito mais curvas e um insignificante separador de betão a dividir as faixas. O limite também baixa para 100km/h nestes últimos 20km que atravessam os dormitórios do Porto (Espinho e arredores de Gaia) e que libertam muito trânsito da A1 e estradas nacionais.

A maior estupidez é não haver uma "CREL nortenha" que contorne a cidade, pois quem queira ir para o aeroporto, Viana ou Braga é sempre obrigado a entrar na congestionada VCI. O grande problema nem é chegar ao porto, é entrar ou atravessá-lo...

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação