Retrato de Luís Lavoura

Vital Moreira insurge-se (num blogue que não admite comentários) contra a "contínua eucaliptização do país, sem paralelo em qualquer outro país europeu".
Isto não é bem assim. Estou informado que os eucaliptais da Galiza são muitíssimo maiores do que em Portugal. Também, é claro que não há eucaliptos noutros países europeus, por uma razão muito simples: o eucalipto é intolerante a temperaturas negativas, especialmente a neve e geada. Portanto, não se dá na Europa, a não ser precisamente na parte atlântica da Península Ibérica.
Também, é claro que a Europa precisa de papel, logo de pasta, logo de eucaliptos. Os eucaliptos terão que estar nalgum lado. Tirá-los de Portugal para importar a pasta do Brasil não será, talvez, a melhor solução. Será como esconder o pó debaixo do tapete.
Depois, os agricultores portugueses precisam de tirar algum rendimento da sua terra. É verdade que os eucaliptos são altamente combustíveis, mas os piores incêndios em Portugal não são os de eucaliptais - são os de matagais, terras abandonadas e incultas. Mais vale uma terra com um eucaliptal, que é rentável e que o seu proprietário tem interesse em cuidar e manter limpa de matos, do que uma terra abandonada, não rentável e cujo proprietário deixa coberta de matos.
Talvez se Vital Moreira fosse proprietário de algumas terras na zona de Coimbra, onde vive quando não está em Bruxelas, pensasse de outra forma. E visse que Portugal não é Portucaliptal, é sim em grande parte matagal e acacial, o que é muito pior.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação