Retrato de Luís Lavoura

Os Estados Unidos decidiram impôr mais sanções económicas à Rússia. Essas sanções impendem diretamente sobre os setores vitais da economia russa, a produção de gás natural e de petróleo.

Não por acaso, no mesmo dia a União Europeia decidiu o mesmo - alargar as suas sanções económicas à Rússia.

Isto acontece a pretexto da crise na Ucrânia. Ora, acontece que, ultimamente, a Rússia não tem intervindo nessa crise. A única intervenção russa consiste, de facto, em acolher um número maciço de refugiados ucranianos que fogem para a Rússia. As tropas ucranianas têm efetuado (sem que no Ocidente praticamente se fale disso - não se pretende que se saiba) bombardeamentos crueis de cidades do leste do país, conquistaram Slaviansk com muito derramamento de sangue e preparam-se agora para atacar Donetsk. E a Rússia nada fez.

A minha interpretação disto é que as sanções à Rússia têm pouco ou nada a ver com a intervenção desse país na Ucrânia e muito ou tudo a ver com um desejo, por parte dos EUA, de enfraquecer a economia russa, nomeadamente a sua capacidade de exportar produtos energéticos. E isso provavelmente terá a ver com o desejo dos EUA de passarem a ser eles quem, cada vez mais, fornecerá gás e petróleo à Europa.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação