Retrato de Igor Caldeira

Nem de propósito, escrevi eu nos dois últimos dias dois textos sobre autores que apelavam para uma acção urgente em matéria ambiental, e que criticavam as visões tradicionais sobre o tema (umas que nos dizem que o respeito do ambiente é economicamente nocivo -http://blog.liberal-social.org/o-capitalismo-natural-e-a-pr-xima-revolu-o-industrial- e outras que nos dizem que os agentes económicos não podem ser responsabilizados pelos efeitos que produzem e que esse é um problema do Estado "regulador" -http://o-reino-dos-fins.blogspot.com/2007/06/sociedade-do-risco-e-proposta-de-ulrich.html) e deparei-me ontem com a Visão de 14 de Junho. Nela vem um artigo sobre Nicholas Stern, o economista britânico que, com um estudo de 700 páginas encomendado pelo governo, está a revolucionar a forma como os líderes mundiais (incluíndo os sempre retardados neocons) percepcionam o tema.

A receita é simples na abordagem e complexíssima na realização: era preciso provar que a destruição do meio ambiente terá algum efeito económico. Os números assustam:
- um aumento de 5ºC na temperatura global deverão custar 5 a 20% da riqueza produzida anualmente em todo o Mundo
- um aumento de 2 a 3ºC custará 3% do PIB
- o fenómeno do aquecimento global poderá custar 5,5 (biliões mesmo, em sistema métrico) biliões de euros à economia global
- evitar o grosso destes efeitos poderá exigir apenas qualquer coisa como o gasto de 1% do PIB

Creio fundamental este estudo, disponibilizado na página do Tesouro britânico (http://www.hm-treasury.gov.uk/independent_reviews/stern_review_economics_climate_change/sternreview_index.cfm);
existem resumos em múltiplas línguas, entre as quais o português (http://www.hm-treasury.gov.uk/media/E/E/stern_shortsummary_portuguese.pdf).

Hopes, não creio que a

André Escórcio ... on Domingo, 24/06/2007 - 15:52

Hopes, não creio que a questão económica tenha de ser encarada como O argumento mas sim como mais um argumento. Nesta questão entender a globalidade do problema poderá ajudar a mudar comportamentos e atitudes. Julgo que se as associações ambientais tivessem estudado o problema a fundo estariamos muito melhor, pois muitas destas associações usam como argumento o facto de a protecção do ambiente ser moralmente o mais correcto.

Eu sou a favor da protecção ambiental não por ser moralmente mais correcto mas sim porque é algo que influencia a saúde, a economia, o bem estar, e até a sobrevivência das gerações actuais e futuras, assim como a própria sobrevivência do planeta enquanto um sistema vivo.

É lamentável que as

Hopes (não verificado) on Sábado, 23/06/2007 - 17:07

É lamentável que as questões ambientais só sejam tidas em conta, pelos custos económicos que acarretam. Quando os argumentos pró-protecção ambiental, se baseavam na defesa do planeta e das gerações futuras, nunca foram ouvidos... A voz da economia fala sempre mais alto...

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação