Retrato de Luís Lavoura

Com argumentos especiosos sobre pretensas inconstitucionalidades que podem ser toleradas em 2014 e até em 2015 mas já não em 2016, o Tribunal Constitucional entra a direito no campo da política legislativa e executiva pura, desacreditando totalmente a sua função judicial. Ainda pior quando aceita ir ao ponto de especificar que o corte de salários na Função Pública pode ir até exatamente 20% em 2015 (isso ainda é constitucional, nesse ano específico) mas já não pode existir de todo em 2016.

Após ser governado por autoridades não eleitas em Bruxelas (Comissão Europeia) e Frankfurt (Banco Central Europeu), o país é atualmente também governado por uma autoridade não eleita no Palácio Ratton.

Assim vai a democracia.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação