Retrato de Luís Lavoura

Se se quer eliminar o Estado Islâmico através de guerra, isso não poderá ser feito apenas com bombardeamentos. Terá que ser feito com tropas no terreno, com infantaria e com tanques. E há tropas dispostas a fazê-lo - os peshmergas curdos. Se lhes derem autorização, eles estarão dispostos a atacar o Estado Islâmico e conquistar-lhe terreno. Desde que, naturalmente, lhes seja permitido ficar com uma parte desse terreno anexada ao seu Curdistão. E isso não necessita de  prejudicar a Turquia - tal como há um Curdistão em território iraquiano sem que isso cause muita mossa à Turquia, também poderia haver um Curdistão em território sírio - e poder-se-ia permitir ao Curdistão iraquiano estender-se até Mossul.

É espúrio o "Ocidente" pretender eliminar militarmente o Estado Islâmico sem recorrer à ajuda dos peshmergas curdos. Tropas francesas não irão lá fazer o trabalho que pode perfeitamente ser feito pelos curdos.

Até porque os curdos conhecem

MG (não verificado) on Segunda, 16/11/2015 - 17:07

Até porque os curdos conhecem o território como poucos e são guerreiros resilientes. Os peshmerga e os curdos do YPG/YPJ têm recuperado território considerável ao daesh na frente do norte. Tendo também em conta que pretendem um Curdistão laico, são mesmo os indicados para resolver a questão.

Cumps,
MG

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação