Retrato de Luís Lavoura

Escreveu Sérgio Sousa Pinto no Facebook:

 

"O espetacular fiasco europeu na tentativa de atrair à sua órbita a Ucrânia e demais vizinhos ex-soviéticos com a sua parceria oriental dá que pensar. Vilnius marcou o fim de uma era em que o prestígio e a prosperidade europeia faziam da integração um horizonte indiscutível e muito desejado pela vizinhança. Embrulhada na crise do euro, a esfolar o Sul resgatado em obediência ao diktat dos credores, sem uma comissão independente e relevante para afirmar o interesse comum, e rendida à liderança do mercantilismo alemão, a Europa, prestes a perder o Reino Unido, disfarça mal a sua decrepitude. Bem podem acusar a Rússia de forçar a mão aos vizinhos. A Rússia oferece energia, um mercado enorme e menos competitivo com taxas de crescimento superiores às europeias. E oferece outra certeza: vai continuar. O mesmo não se poderá dizer hoje, com a mesma segurança, da Europa unida. Receio que este desaire não tenha sido um acidente. Antes uma viragem. A Europa cada vez menos tem interesses comuns a defender, e cada vez esconde pior que os interesses pelos quais se bate não são comuns. A Rússia pô-la no seu lugar e prepara-se para ser o único ator geostratégico na região, como acontecia até 1989. É a Europa do eixo Merkel-Merkel."

 

Escreveu muito bem, sim senhor.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação