Retrato de Luís Lavoura

A Câmara Municipal da Mealhada é uma Câmara "atípica", segundo nos relata esta notícia: paga todas as suas dívidas no prazo de um mês, e tem um orçamento equilibrado, isto é, não deficitário, não necessitando por isso de estar permanentemente a pedir mais crédito a bancos para sobreviver e/ou para "fazer obra".

Em suma, a Câmara Municipal da Mealhada é uma Câmara honesta e uma "pessoa" de bem, que paga aquilo que deve quando deve, e que vive de acordo com as suas posses. Era bom que, por princípio, todas as Câmaras Municipais fossem assim.

Mas, é claro, neste país de pelintras habituados a viver a crédito, isto não cai bem. A oposição na Câmara da Mealhada, que é do PSD, não está satisfeita. Diz que, se o orçamento da Câmara está equilibrado, então a Câmara deveria corrigir esse estado de coisas. A Câmara deveria, ou baixar os impostos sobre os munícipes, ou então investir mais (por exemplo, digo eu, construindo mais rotundas, para acrescentar às muitas que a Mealhada já tem). A Cãmara deveria desequilibrar o seu orçamento, eliminando receitas ou criando despesas. Não há direito, que uma Câmara não peça todos os anos mais algum dinheirinho emprestado à banca.

Retrato de Filipe Melo Sousa

O que é criticável é que

Filipe Melo Sousa on Terça, 15/04/2008 - 10:39

O que é criticável é que o sistema sancione precisamente essas câmaras. A leitura que o governo vai fazer é simplesmente retirar-lhe verbas, pois estas não são necessárias. Em Portugal, só se premeia a má gestão.

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação