Retrato de Luís Lavoura

Por definição, a vida privada de uma pessoa é aquela parte da vida que não deve ser tornada pública. Portanto, é tautológico afirmar que a vida financeira de uma pessoa não deve ser divulgada publicamente porque ela faz parte da vida privada. De facto, aquela parte da vida de uma pessoa que não deve ser divulgada publicamente é, por definição, a sua vida privada. Não há nisto qualquer raciocínio, há apenas uma definição.

Agora, em que consiste exatamente a vida privada, isso é algo que é, largamente, cultural, que depende das tradições de cada país, dos seus usos e costumes (que vão variando com o tempo) e também, sobremaneira, dos interesses das pessoas desse país. Toda a gente concorda que a vida sexual faz parte da vida privada. Se a vida familiar também faz, já é mais discutível - a tradição diz que "entre marido e mulher, não metas a colher", mas atualmente a violência doméstica é crime público. Quanto à vida financeira, os costumes diferem. Enquanto na Noruega é pacífico que as declarações de rendimentos de todos os cidadãos estão ao alcance de um clique na internet, em Portugal, devido à tradição instituída de fuga aos impostos, muita gente pretende que a sua vida financeira seja tão privada quanto a sexual.

Trata-se de uma questão interesseira, nada mais.

Está muito silencioso por aqui! Porque não deixar uma resposta?

  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente

Mais informação sobre as opções de formatação